segunda-feira, outubro 19

“Estou no topo da carreira”

Intérprete de premiados espetáculos teatrais, a atriz Prazeres Barbosa, 60 anos, deixou Caruaru há dois anos para mostrar seu talento no cinema nacional, participando de longas-metragens como Árido movie e A máquina. Os trabalhos abriram as portas nas telenovelas e seriados, como A favorita, Duas caras e A diarista. Em entrevista ao JC-Agreste, a atriz fala de preconceito, amizades na roda artística e dos seus próximos trabalhos na TV.



JC – Como é sua rotina de trabalhos no Rio? Já é contratada da Globo?


PRAZERES BARBOSA – Quando vim pela primeira vez ao Rio, para fazer a novela Duas caras (2007), assinei um contrato de oito meses. Recebi toda mordomia, morando na Barra (Barra da Tijuca, bairro do Rio de Janeiro), de frente para o mar. Mas quando acaba a novela, acaba o contrato. Depois, fiz participações nas novelas A favorita, Malhação e na série Por toda minha vida. São contratos pequenos. Agora mesmo, fiz uma participação em Cama de gato (nova novela das 18h) e farei em Bom dia, Frankenstein (próxima das 19h), na qual serei uma empregada doméstica de um casal bem divertido. É um elenco cômico e eu estou adorando.



JC – A participação da novela das 19h poderá ser seu maior destaque na TV?


PRAZERES – Estar na Globo, para mim, já é estar no topo. É o lugar onde todo artista gostaria de estar e eu consegui com 58 anos de idade. Há dois anos sobrevivo da minha arte, o que não consegui em 27 anos de carreira em Caruaru. Por isso, tudo que eu fizer terá um destaque, seja a participação grande ou pequena. O que vier é trabalho e será lucro. Estou sendo reconhecida pelo que estou fazendo e isso não tem preço.


JC – Autor da novela A favorita, João Emanuel Carneiro, disse que escrever novela emburrece. Você que, enquanto artista, nasceu no teatro, pensa que interpretar numa novela também emburrece?


PRAZERES – Não vejo por esse prisma. Pelo contrário: fazer novela soma, nos faz evoluir. Me vejo com os monstros sagrados da televisão e do teatro. Estou tendo uma grande chance de estar com eles enquanto pessoas humanas. Ainda por cima, eu gosto de ler, me mantenho atualizada, faço oficinas de teatro no Sesc em Copacabana. Esse trabalho é uma troca. Cheguei ao topo, onde eu queria.



JC – Em entrevista publicada no suplemento JC na TV (27/9), o ator Sidney Santiago (Caminho das Índias) declarou que “as pessoas que estão nas novelas foram educadas para ter um tratamento com brancos e outro com os nordestinos, negros e ameríndios.” Você já sofreu algum tipo de preconceito na Globo?


PRAZERES – Não me baseio nos fracassados. Eu costumo focar minha carreira nos vencedores, não nos perdedores, nos preconceituosos, nas pessoas mal amadas. Sou otimista e acho que as pessoas me veem como eu as vejo, sem reservas. Eu não sofri preconceito e não sofro. Muito pelo contrário: sou baixinha, nordestina, velhinha, feinha e tenho cabelo enrolado e eles me contrataram porque tenho talento a oferecer. Sou alegre, bem resolvida e só prego no Rio o que de bom o Nordeste e Caruaru têm a oferecer.


JC – O mesmo ator disse que a televisão não é um lugar para fazer amizade. É muito hostil. Quem são seus pares na TV?


PRAZERES – Fabiana Karla (Zorra Total) é minha vizinha, meu amor. Não quero um comportamento de comadres numa cidade que não dorme. As pessoas no Rio não costumam parar a vida para prosear, mas ainda assim se divertem. E mais: eu sou pobre e não posso querer me inserir no glamour da alta sociedade. Sou muito querida assim mesmo. É preciso bom senso nas relações.



JC – Quanto ao cinema, como foi sua participação no filme As vidas de Chico Xavier, que estreia em 2010?


PRAZERES – Foi uma participação pequena, mas muito forte. Eu pude ver minha carga de dramaticidade bastante explorada. No filme, enquanto o intérprete de Chico Xavier está atendendo as pessoas, eu vou até ele me consultar. Mas não posso contar mais detalhes.


Publicado no Jornal do Commercio (JC Agreste) em 11/10/2009


domingo, outubro 4

Assista ao Prêmio Jornal Extra de Pernambuco
Categoria - Cultura

Prazeres Barbosa
Campeã da categoria Cultura

De Caruaru para o mundo


Ganhadora do Prêmio Mestre Vitalino, oferecido pelo Jornal Extra, na categoria Cultura, Prazeres Barbosa veio do Rio de Janeiro exclusivamente para receber a premiação na Capital do Agreste.


A arte produzida em Caruaru, mais especificamente a arte cênica vem despontando gradativamente no cenário regional e nacional. Porém, este novo cenário se deve a grandes artistas que lutaram para ascender não somente a própria carreira, mas também levar o nome e a riqueza cultural da Capital do Agreste para fora do município.


Um exemplo de artista que surgiu na Capital do Agreste e voou para longe foi a atriz Prazeres Barbosa. Ganhadora do Prêmio Mestre Vitalino, oferecido pelo Jornal Extra de Pernambuco na categoria Cultura, Prazeres tem um longo e respeitável currículo nos palcos e outros cenários artísticos. É considerada a diva do teatro pernambucano. São participações em 15 filmes, duas novelas, minisséries, além de vários espetáculos teatrais. A atriz também coleciona prêmios nacionais e regionais.


A atriz, símbolo do teatro caruaruense veio do Rio de Janeiro para Caruaru na última quarta-feira (23), exclusivamente para receber o prêmio ofertado pelo Jornal Extra. “É muito gratificante receber um prêmio assim, porque é uma demonstração de que seu trabalho está dando ótimos resultados. O Jornal Extra tem uma credibilidade em toda a região e eu entendo que também sou reconhecida por onde o jornal chega. Para meus fãs deixo um recado: por onde quer que você passe não deixe rastro, deixe marcas de saudade, solidariedade e ética. Somos espelhos das nossas idéias, pensamentos e atitudes”, agradeceu Prazeres.


Maria Olívia e Bernardo meu irmão.

Prazeres conseguiu seu espaço através do teatro, mas também enveredou pela TV e o cinema, afirmando mais ainda a presença de um espaço para os talentos nordestinos na dramaturgia de forma geral. “Sabemos que teatro, cinema e televisão têm linguagens diferenciadas, no entanto, o que conta é a compreensão e a forma original como se faz. Tive a oportunidade de ser assistida, em teatro, por diretores de cinema e TV, daí os convites foram surgindo. A cada filme que faço, há sempre interessados na área espionando e assim os convites se sucedem. A singularidade de cada momento é instigante a avassaladora”, garante Prazeres.


E foi assim, buscando espaço, que muitos atores e autores nordestinos conseguiram emergir no cenário nacional. “Analiso a dramaturgia nordestina como sendo universal e recheada de fatos e “causos” inerentes ao universo humano. Os autores nordestinos, além de uma peculiaridade e competência extraordinárias, sabem como ninguém se impor diante de temas políticos, sociais e religiosos, de forma leve, lírica e cativante, levando as platéias ao delírio. O teatro, além de proporcionar lazer, é um veículo de formação, transformação e interação de uma sociedade. A dramaturgia nordestina é entendida e degustada do Oiapoque ao Chuí, sem reservas para o sotaque ou coisa que o valha”, destacou Prazeres.


“Sempre acreditei no talento dos meus conterrâneos. Caruaru é um celeiro de grandes artistas em todas as áreas. Acho que o segredo é ousar. O que cada um tem que fazer é investir no que acredita. Eu acreditei e corri atrás”, revela a atriz.


Matéria publicada no Jornal Extra de Pernambuco, de 26 de setembro de 2009.


-->
Atriz Prazeres Barbosa

Vinda do Rio de Janeiro exclusivamente para receber a homenagem do Extra pelo trabalho desenvolvido ao longo de sua carreira como atriz, Prazeres Barbosa surpreendeu todos os convidados que estavam presentes na entrega do Prêmio Jornal Extra de Pernambuco.

Prêmio Jornal Extra de Pernambuco

Categoria Cultura


-->
Estudiosa e disciplinada, Prazeres sempre ministrou oficinas de teatro visando à formação de atores. Líder da companhia que leva seu nome, a atriz investiu fortemente na juventude caruaruense, em busca de novos talentos. Visando ao desenvolvimento artístico da população que habita a periferia de Caruaru, em 2006 Prazeres iniciou a construção de um teatro, com recursos próprios e ajuda de amigos, no bairro Caiucá, em Caruaru.

Sua carreira artística é motivo de orgulho para a cidade de Caruaru e para todo o Estado, afinal, Prazeres Barbosa é legítima representante de nossa cultura e tem levado para todo o País esse legado cultural, através do teatro, cinema e televisão. A vasta lista de prêmios, homenagens e títulos que acumula comprovam a sua importância para a cultura caruaruense.

Prazeres Barbosa começou a fazer teatro no ano de 1982, no Grupo de Teatro do Sesc Caruaru, a convite do ator e diretor Severino Florêncio. Antes disso, já desenvolvia um trabalho artístico de destaque na Escola Elisete Lopes, onde lecionou por vários anos. Exemplo de exímia educadora exerceu o magistério por 25 anos, aposentando-se em 1992, ano em que foi criada a Companhia de Produções Artísticas Prazeres Barbosa, um dos maiores grupos de teatro já existentes em nossa Cidade.

Jornalista, Lucinha
-->
Em 2004, quando participou das gravações do filme “A Máquina: o amor é o combustível”, Prazeres foi convidada a realizar um cadastro no sistema de atores da Globo e, cerca de um ano depois, apareceu na telinha pela primeira vez, num episódio do extinto seriado “A Diarista”. De lá para cá, não parou mais. Filmou a microssérie “A Pedra do Reino”; o seriado “Por Toda Minha Vida”, em homenagem ao apresentador Chacrinha; fez participações especiais nas novelas “A Favorita” e “Malhação”, e deu vida à empregada Shirley, sua primeira personagem numa trama fixa, na novela Duas Caras.

Prestes a comemorar 60 anos de vida, Prazeres Barbosa vive a melhor fase de sua carreira artística. Morando no Rio de Janeiro há mais de dois anos, a atriz vem se dedicando a trabalhos nas três principais áreas da dramaturgia: teatro, cinema e televisão. Contratada pela Rede Globo, a maior emissora televisiva do País, Prazeres estará no elenco da próxima novela das seis, ‘Cama de Gato’, que estréia em outubro.

Considerada a dama do teatro pernambucano, a atriz Prazeres Barbosa possui como lema de vida o que está escrito na canção composta por Acioly Neto: “se avexe não, que amanhã pode acontecer tudo, inclusive nada”. Diante de tamanho talento, o Jornal Extra de Pernambuco acredita que a homenagem feita a Prazeres Barbosa é apenas mais uma de muitas que certamente virão.


Jornalista, Fernandino Neto

-->
Depoimento de Prazeres - Cumprindo o imperativo de “seres sociais”, somos sensíveis e gratos a toda manifestação de apreço, carinho e respeito que recebemos dos nossos semelhantes, pois o reconhecimento é tudo o que esperamos em nossas vidas desde que tomamos consciência do que somos e quem somos.



-->
Para cada um de nós, o reconhecimento e a valorização são imprescindíveis para a ampliação dos horizontes mentais e para a realização pessoal. A homenagem que ora recebo do Jornal Extra de Pernambuco, na pessoa de Alexandre Ferraz e de toda equipe responsável pelo crescimento intelectual/informativo da nossa Caruaru, especialmente aos que acreditam em mim e apostam no que haverei de fazer pela cultura pernambucana e brasileira, o faço em nome de todas as pessoas que acreditam num sonho – o sonho pessoal – e dedicam a ele cada dia de suas vidas.

O entretenimento proporcionado pelo trabalho de teatro, cinema e TV é por demais gratificante para os dois lados: o público expectador e os que estão em cena. Assim como a beleza estética, a lembrança remanescente de um belo texto pode ser mensageira de alegria e íntimo prazer, o que mais desejamos é despertar a compaixão dos homens pelos homens. É por isso que prosseguimos representando, dando vozes às horas que se calam, dando vida às histórias esquecidas. Representar é extremamente enriquecedor porque, assim como nós, os personagens mudam a cada dia, a cada nova representação. E com eles, nós, os atores.

Colunista, Jota Lagos
-->
Sou imensamente grata ao Jornal Extra de Pernambuco pela iniciativa do I PRÊMIO DO JORNAL EXTRA DE PERNAMBUCO – TROFÉU MESTRE VITALINO, às pessoas que apostaram em mim e aos amigos que brindam comigo este momento especial da minha existência. Parabéns aos demais reconhecidos, em suas áreas específicas.
Encontro-me num momento especial da minha vida, quando as vésperas dos 60 anos, vislumbro a concretização dos sonhos da minha juventude, acalentado, dia após dia, na esperança de novos horizontes. Eu tinha certeza que “...a burrinha da felicidade nunca se atrasa...” Obrigada, meu Deus, por todas essas bênçãos!


Neide Aciole, editora chefe do Jornal Extra

-->Ela é uma das propulsoras do estilo nordestino para todo o Brasil. Conhecida por sempre interpretar personagens com características nordestinas ou montar peças de atores do Nordeste, Prazeres hoje mora no Rio de Janeiro, mas leva em cada encenação o nome de Caruaru. “Obstáculos existem em qualquer terreno que se queira desbravar.
Alexandre Ferraz, proprietário do Jornal Extra

-->