sábado, setembro 28

 

Em entrevista exclusiva para o Blog Prazer em Conhecer, 

Prazeres fala sobre seus 30 anos de carreira.

Blog - Você já soma 30 anos de carreira. Um trabalho que teve início de forma lúdica na escola onde ensinava e que depois alcançou o auge nos palcos, abrindo portas no cinema e na TV nacionais. Você imaginava que poderia ir tão longe?
Prazeres Barbosa - Sinceramente não, mas a determinação é o que alavanca os ideais. Como professora, sempre lecionei de forma diferenciada das colegas. Talvez fosse este o sinal que me levaria aos palcos, aos 32 anos. Dos palcos para o cinema foi questão de tempo. Agora, chegar a Rede Globo (sonho de 10 entre 10 atores), estava além das possibilidades, vez que meus padrões de beleza estavam longe! Acho que aconteceu a chamada “ZEBRA”, graças a Deus! E o melhor de tudo é que não precisei mudar a essência.

Blog - Quais os momentos mais emocionantes destes 30 anos de carreira?
Prazeres Barbosa - Inúmeros! A professorinha pacata, tornar-se referência como educadora e atriz, premiada do primeiro ao último espetáculo por diversas vezes, nacionalmente; 12 espetáculos, 21 filmes e 16 Produtos Globais; Mecenas das Artes Cênicas, junto a Ariano Suassuna e João Cabral de Melo Neto; nome de camarim no Galpão das Artes, em Limoeiro; Colar Sesquicentenário de Caruaru; Cia. de Produções Artísticas Prazeres Barbosa; Medalha Álvaro Lins, da Câmara de Vereadores de Caruaru; dezenas de votos de aplauso da Assembleia Legislativa do Estado e Câmara de   Vereadores de Caruaru; construção do Teatro Prazeres Barbosa; biografia, em vida, pelo jornalista Fernandino Neto; além de uma escultura, em tamanho natural, no hall da Câmara de Vereadores de Caruaru. Se fosse nominar tudo, o leitor iria desistir de ler.
Blog- Você também enfrentou momentos difíceis ao longo destas décadas de trabalho. O que mais te decepcionou?
Prazeres Barbosa - As decepções foram importantes. Com elas aprendi que ninguém aposta em nós, a não ser nós mesmos. Foram elas que me impulsionaram a voar como a gaivota e não ter pena dos que não sabem.

Blog- Ao contrário da maioria dos artistas, que costumam receber homenagens depois de mortos, você tem sido reconhecida em vida com inúmeros prêmios, comendas, livro biográfico e até com estátua em sua cidade natal. A que atribui essas conquistas?
Prazeres Barbosa - A sensação é indescritível, pois toda conquista é única! Honra-me receber flores, títulos, comendas, poemas, livro e escultura dos meus patrícios, em vida, pois só assim poderei chorar de emoção e abraçá-los com o calor da minha gratidão. Sinto que não deixei rastro, mas marcas de saudade, solidariedade e respeito. Saberei eternizar as manifestações recebidas, tenham certeza!

 Blog - Você começou fazendo teatro em 1982, no SESC Caruaru. Quais as recordações que ainda guarda na memória daqueles tempos? Prazeres Barbosa - Severino Florêncio, pegando-me pela mão e ensinando-me a soletrar a arte de representar; o brilho nos olhos das minhas diretoras da escola, Diva Galvão Cavalcante e Erenice Lisboa; José Manoel, instigando-me ao conhecimento do método de Stanislawisky; Sônia Raposo, Gestora do SESC e Neide Vital, apostando tudo na equipe de teatro; os dois Circuitos Nacionais de Teatro promovidos pelo SESC nacional; o convívio com atores, que como eu, estavam engatinhando e o encontro com Francisco Torres, meu marido há 29 anos. Como não amar a entidade SESC?


Blog - Ao deixar o Grupo de Teatro do SESC, você se aventurou na Companhia de Produções Artísticas Prazeres Barbosa, estreando grandes espetáculos como Fiel Espelho Meu, Valsa número 6 e Whisk pra Guiomar.  Acredita que esse ciclo no teatro caruaruense foi fechado no momento ideal?
Prazeres Barbosa - A partir daí tive a oportunidade de conviver com os mestres diretores Didha Pereira e Romualdo Freitas. Reaprendi que os ciclos não se fecham, se cumprem! Tratando-se de Caruaru nada está cumprido, está alternado. Prefiro acreditar que o melhor ainda está a caminho, vez que a felicidade encontra-se numa “fresta”; Ou você deixa o sol entrar ou permanecerá na escuridão. Optei pela primeira!

Blog - Desde 2007, você trocou Caruaru pelo Rio de Janeiro e tem feito diversos trabalhos na TV Globo. O mais interessante é que você não mudou o seu estilo e nem perdeu o sotaque.
Prazeres Barbosa - O impacto cultural é notório, entretanto sou inteira em tudo o que faço. Talvez esta seja a resposta. Procuro ser o caminho de todos os atalhos, a volta de todas as idas, o fim de todo recomeço e a oferenda de todas as crenças. Não quero deixar de ser Prazeres Barbosa de Caruaru!

Blog - O teatro abriu as portas para o cinema e, este, para a televisão. Aos 63 anos, enquanto muitos se aposentam você está buscando novas oportunidades. Como lida com esse desafio, inclusive com as dificuldades para se manter no Rio de Janeiro?
Prazeres Barbosa - Definitivamente, o que conta é aquilo que somos “em essência”. Continuo como sempre, acreditando na minha determinação, retirando as pedras e livrando-me dos tropeços. Aprendi também, que quando a gente desanima perde a guerra antes mesmo de lutar.  Imagine que pela primeira vez na vida, gravei um comercial a nível nacional dos Postos Ipiranga! Esta é a minha fórmula de viver no Rio ou em qualquer lugar do Planeta.

Blog - O que você ainda pretende conquistar como atriz?
Prazeres Barbosa - Nunca me preocupei em chegar primeiro a lugar algum. Pra mim, o que conta, é participar das competições. Quando não estou na sala-de-visitas é porque o meu momento ainda está a caminho. O segredo é respeitar quem está lá.

Blog - Como lida com a rivalidade no meio artístico? Certamente você já deve ter se deparado com muitas situações assim ao longo de sua carreira...
Prazeres Barbosa - Saber CONVIVER, ainda é o maior mérito do ser humano. Isto não se aprende na rua nem nos palcos, é mérito da educação doméstica. Isto mamãe nos ensinou direitinho! A maturidade me fez aprender uma coisa simples e funcional: quando alguma coisa ou alguém começa a me fazer mal, deleto-o! E assim a vida segue.
Blog - Agora que se tornou mais conhecida, como tem sido a relação das pessoas contigo? Elas te reconhecem nas ruas? Como você lida com o carinho do público?
Prazeres Barbosa - Para sentir o sabor da vida se faz necessário desfrutarmos do carinho do outro. No ofício de atriz, esta é a recompensa. É fácil sorrir quando se tem reciprocidade, e de sorriso eu entendo!

Blog - Muitas pessoas afirmam ter o sonho de serem artistas, a maioria iludida com a fama e o glamour da TV e dos palcos. Mas a verdade é bem diferente. O que você diria para os iniciantes? 
Prazeres Barbosa - Estejam abertos ao aprendizado com disciplina, mas acima de tudo, respeitando a hierarquia! Ser atriz é uma profissão complicada, vez que só se realiza com “o outro”. Valorize o que é necessário e dispense as sobras!
 
 Fernandino Neto

Nenhum comentário: